quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Queridos leitores!

Fim do blog Quebrando os Mitos. blogspot.com.br

Em respeito ao meu público, que me acompanhou durante há 1 ano, venho comunicar a vocês que o blog www.quebrandoosmitos.blogspot.com.br encerra as suas atividades, devido a censura do Google que me colocou devido as “denuncias” dos meus opositores. Não irei colocar como vítima, por que isso é uma guerra virtual, mas o que me deixou indignado foi o Google ter me bloqueado sem dar alguma advertência para mim.

Se errei em alguma coisa, o Google deveria ter me comunicado para ter tirado certas matérias do ar, mas não foi isso que aconteceu, me censurou sem direito a defesa. Além do mais não deixou abrir uma conta no Orkut (se o delito foi no blog, por que me bloquearam no Orkut?), encerrou uma conta de e-mail e não deixa usar mais os seus serviços  (nada do blog esta funcionando), sem mandar pelo menos uma justificativa.

Fala que existe “liberdade de expressão”, mas existe somente para um lado e não para o outro. O Google deveria ter me informado antes, dando-me uma advertência, mas não foi isso que aconteceu.

Se errei com o Google peço desculpas, agora que aprendi a lição, tomarei cuidados com que escrevo e peço por favor não me bloquearem mais. Citei no blog vários blogs feministas que odeiam os homens, mas nunca tiraram o blog delas do ar? Por quê?

Aos leitores, o blog esta virando uns  4 livros que contém toda a coletânea do blog e peço a ajuda de vocês para divulgarem.  

Agora irei escrever no www.quebrandoosmitos.wordpress.com e terá mais matérias interessantes. Também encerro as atividades do Ask, devido a falta de tempo. Mais uma vez peço desculpas para o Google e por favor não me censura mais, sem pelo menos me darem uma advertência.

Obs: Qualquer pessoa pode pegar os textos e publica-los em outros blogs e sites, desde que cita o autor e não altera os textos, mantendo a sua originalidade. Divulguem o máximo que possível, por que a Real não pode parar!

Quando publicarem uma matéria para mim, por favor escrevam para mim:
marciio.andrade@gmail.com

Um abraço a todos.
Sejam felizes e Superam as Paixões

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Respeito não se pede, se conquista

Vale a pena ficar esmolando isso?

Estamos vivendo num período como a palavra “respeito” esta sendo pronunciado, por todas as pessoas, que se consideram vítimas de preconceito e discriminação, que ficam esperneando por quatro cantos, chamando atenção da sociedade. Esses grupos sociais ditos como “discriminados” acham que os meios de comunicações são deuses, que é somente ir para frente da câmera de televisão, que vão resolver todos os seus problemas.
O mal desses grupos sociais pensam que pode resolver tudo através da “propaganda”, se esquecendo de que a realidade é superior a propaganda. Muitas das vezes a propaganda pode ajudar, mas pode ter efeito ao contrário, em vez de “melhorar a sua imagem” acaba piorando mais ainda a situação, despertando raiva e ódio sociais.
Todas as pessoas que pedem respeito devem ser humilhadas, desprezado e esculachado perante os outros, porque respeito não se pede e sim se conquista. O problema não esta na pessoa que discrimina, e sim no discriminado, que ficam esmolando reconhecimento dos outros, onde ficam tão preocupados de serem aceitos e acabam não aceitando a si mesmo.
Vivem preocupados de serem aceitos, onde muitas das vezes perdem a sua própria personalidade, vivem na função dos outros, não possui vontade própria ou vive a sua vida querendo chocar e desafiar a sociedade.
Na realidade as pessoas ainda não aprenderam que somos livres para fazer o que quer na vida, essa liberdade não existe, porque cada ser humano é um universo diferente, que não vai mudar a visão do outro. Cada vez que tentamos mudar o pensamento das pessoas, querendo força-las a nos aceitar, ou ficar esmolando “respeito” mais ódio e revolta criamos nas pessoas.
Tem grupos que se vestem diferentes, falam diferentes, se comportam diferentes, ou seja, fazem de tudo para ser diferentes dos outros, mas quando são tratados como diferentes ficam puto. Mas porque ficam putos com a sociedade, se conseguiram os seus objetivos de serem “diferentes” da sociedade que tanto criticam. Falam em “respeitar” as diferenças, mas nem vocês mesmo “respeitam” a maioria? Não adianta em qualquer parte do mundo a maioria sempre vai engolir a minoria, mas parece que esses grupos não aprenderam isso ainda. Não se deve sacrificar a maioria em prol de uma minoria.
Vivemos numa sociedade onde todo mundo é preconceituoso, mas quando chega a sua vez ninguém aceita, chora, se faz de vítima, etc bancando uma coisa que não são “bonzinhos”.  A sociedade não aprendeu que cada um de nós não é livre para fazer o que quer, pois todo o sofrimento humano vem da falta de reconhecimento das suas limitações. Todos nós somos limitados, porque cada pessoa é tem um modo diferente de pensar, mas quando não reconhecemos isso, provocamos os conflitos sociais.
Na realidade todo o oprimido quer ser opressor, onde se faz de “vítima” para impor o seu ponto de vista, que todo mundo aceita. Cada ser humano é um ditador enrustido, onde a “minoria” pode assumir o poder, desde que esteja forte e organizado, então sempre prevaleça à lei do mais forte e do mais inteligente.
Quando amadurecer verá que
perdeu o seu tempo.
O politicamente correto só funciona nos jovens, porque são novos, tem pouca vivência e acham, que pode mudar o mundo através da sua rebeldia.  Devem-se temer os jovens, não por sua capacidade intelectual, mas porque eles são fáceis de serem manipulados, onde defendem os seus pontos de vista através do ódio, raiva e com radicalidade. Mas quando amadurecem percebem que aquilo, que tanto lutaram contra, não modificou nada e chega a conclusão que foram manipulados e perderam o seu tempo.

Em todo o período da história, que lutaram em nome da igualdade, onde “todos são seres humanos” sempre houve guerras, discórdia e assassinatos, então quando a mídia e os partidos políticos falam em “igualdade” isso é de propósito na intenção de provocar brigas sociais, porque antropologicamente falando sabe-se que a igualdade nunca vai existir, porque algumas pessoas são ambiciosas  e  outras não. Em nome de “mudar o mundo” acaba aumentando cada vez mais o desrespeito, ódio e a discriminação. Como disse antes, o problema esta quem sofre a discriminação e não no discriminador.
trabalho sobre o feminismo
www.marcioconsciencia.blogspot.com.br

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

O Vingar ou Não Vingar, Eis a Questão




Quando se torna necessário para uma pessoa se vingar da outra, mas quais as consequências 


O filme “Bastardos Inglórios” dirigido por Quentin Tarantino aponta um sentimento mais enraizado no homem: A vingança. Quando realizado, nos traz uma sensação boa e de bem estar, dando o troco naqueles que nos fizeram mal, pois a pior coisa do mundo é ficar lembrando a toda hora, as cenas quando nos aconteceu algo traumatizante, a mente parece um disco arranhado, nos dando sensações muitos agonizantes, que pode durar dias, meses, anos ou até pelos restos das nossas vidas. E o único antídoto para isso é a vingança.

Um sábio chinês Lao TSE disse: “Evite entrar em confronto com as outras pessoas, evite ao máximo. Mas, quando não der para evitar o confronto, não humilha e não agride seriamente o seu inimigo, porque você poderá deixá-lo com traumas, que mais tarde pode vingar de você”.

Igual uma história de um rapaz de 18 anos agrediu seriamente um homem, só deu tapas na cara dele e esse homem ficou com traumas terríveis e nunca tinha se esquecido desse evento. Depois de 20 anos, esse homem se vinga, matando o seu agressor, que estava com 38 anos de idade. Moral da história tem que evitar deixar traumas nos outros.

Às vezes a vingança vem de forma coletiva, por exemplo, um negro americano com 80 anos de idade, provocou brigas raciais numa cidadezinha nos Estados Unidos. Ele conseguiu jogar a sua paranóia e traumas em cima dos outros negros, porque ele tinha sido vitíma de discriminação quando era criança. O problema do racismo já estava resolvido nessa cidade, mas por causa de uma pessoa, voltou tudo como era antigamente. As pessoas não sabem, mas existe absorção das paranóias alheias.

Por exemplo, existem mulheres que sempre foram bem tratadas pelos namorados, maridos, noivos e ficantes, nunca sofreram maus tratos, mas ao mesmo tempo tem um ódio mortal dos homens, porque ela escuta ou escutava histórias tristes de outras mulheres, que são vítimas de homens cruéis, e acabaram absorvendo os traumas e paranóias dessas mulheres.

Como diz o ditado chinês “Para realizar uma vingança, têm que preparar dois túmulos”. Vingança é bom, nos dá uma sensação boa e de justiça, mas não esquecem que o outro lado também pode vingar novamente. 

A vingança sempre tem o seu preço, não adiante fazer leis rígidas, se um indivíduo cismar que vai fazer, vai fazer mesmo. Evite provocar trauma no outro e se quiser se vingar esteja preparado para ir ao túmulo também, ou esteja preparado perder um membro da sua família, porque muitos vingadores não se vingam nos seus agressores e sim na sua família, nos seus filhos, netos, mãe e pai, porque no fundo ninguém quer ficar no prejuízo.

Trabalho sobre o feminismo
http://www.marcioconsciencia.blogspot.com.br/

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Problema de fala, como resolver?



Qual o método mais eficaz para recuperar a fala

Um dos assuntos que mais entendo é o problema de fala, e posso afirmar com toda segurança, que a fonoaudiologia não é a garantia de que possa recuperar a fala.
Quando tive 5 anos de idade, sofri um atropelamento que perdi totalmente a fala, fiquei totalmente mudo devido ao acidente. A vida de um deficiente é muito difícil na sociedade, sofre muitos obstáculos, preconceitos e a intolerância das pessoas. Passei boa parte da minha infância, adolescência e certa fase adulta, as pessoas rindo da minha fala.
Na escola sofria aquilo que é chamado hoje em dia de “bulling”, onde estudei em 11 escolas, da qual fui expulso de 8. Motivo era sempre o mesmo, “zoação da minha fala”!
A minha sorte, que na escola não apanhava, porque cresci dentro de uma escola de kung fu, aprendi ainda criança técnicas de combate e de sobrevivência. Então cansei de quebrar a cara dos outros na escola, na rua, etc. Quando a situação ficava fora de controle, chamava reforços, ou seja, chamava os meus irmãos.
Aos 16 anos comecei a fazer dança de salão e dança contemporânea, comecei a gostar muito dessas modalidades. Até um dia, li uma matéria, que falava sobre a “Técnica de Alexander”, que foi um inglês que sofreu o mesmo acidente que sofri, foi atropelado e perdeu a fala.
Comecei a me interessar pela essa técnica, pois o tratamento com a fonoaudióloga não me serviu para nada, pois na consulta parecia um papagaio, repetindo o que ela falava e depois repetia, ba, be, bi, bo, bu, isso não me levou a lugar nenhum.
Entusiasmado com a melhora da fala, então resolvi entrar numa escola de dança, onde aprendi toda modalidade de dança, ballet, jazz, dança afro, russo, etc.
Na época não estava trabalhando, porque queria me dedicar  totalmente a dança, mesmo fazendo ballet, nunca fui taxado de gay, ao contrário pessoas me elogiavam e diziam que não fazia porque não tinha coragem.
Como queria muito recuperar a minha fala, então decidi me dedicar integralmente à dança, objetivando recuperar a minha fala. Engraçado nunca fui taxado de gay por fazer dança, mas sofri outro tipo de discriminação, fui taxado de “vagabundo”, que não queria trabalhar e ficar dançando o dia todo.
As pessoas perderam totalmente o respeito por mim, onde comi o “pão que o diabo amassou”. Prejudicou até nos meus relacionamentos, as mulheres até gostavam da minha voz, isso não era problema, mas o que me prejudicou  nos relacionamentos foi que não conseguia arrumar emprego, por causa da fala (isso é outro assunto).
Fala é emoção, sentimento e expressão, por isso que a dança me trouxe grandes benefícios, porque ela mexe com todas as emoções, estimula o cérebro, melhorando muito a fala.
Se você é homem e tem problema de fala e ainda é novo, eu te recomendo a praticar dança, porque é muito mais fácil  homens ter bolsa de dança do que a mulher. As escolas e academia de danças sempre dão bolsa para os homens, porque sempre esta faltando devido ao preconceito.
Se você não quiser parar o tratamento com fonoaudiologia e se trata com uma mulher, eu te recomendo que para, e começa a fazer o tratamento com homem, porque isso interfere muito no seu modo de falar.
Mulher tem que se tratar com fonoaudióloga mulher, e homem tem que se tratar com fonoaudiólogo homem. Procurar um profissional fonoaudiólogo homem é muito difícil, porque é uma área dominada pelas mulheres, se não achar te recomendo que para.

Trabalho sobre o feminismo
http://www.marcioconsciencia.blogspot.com.br/

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Brasil, país da justiça

Roubou pouco deu nisso!

Uma das coisas que mais discordo quando falam, que o Brasil é o país da injustiça, onde o pobre é discriminado e os ricos são exaltados, podendo fazer o que quer com a certeza da impunidade. O pobre vai para a cadeia e o rico não, onde muitos acham “injusto” o que acontece com os menos favorecidos, mas se sabe que a corda sempre arrebenta para o lado do mais fraco, então porque o pobre faz merda?
É o velho ditado “manda quem pode, obedece quem tem juízo”  então o menos favorecidos têm a obrigação de andar na linha, não roubar, matar, furtar, dar calote, etc procurar fazer sempre as coisas certas, para não sofrer as consequências dos seus atos. Pode parecer cruel, mas é assim que funciona a sociedade.
O cara foi preso é condenado 10 anos de prisão, porque roubou um pacote de biscoito, o outro roubou 10 milhões e nem foi julgado, pois esse ato deixa a sociedade indignada, mas será que isso esta errado?
Roubou muito comprou um iate, e esta
curtindo a vida
Existe um ditado que fala “roubas pouco que será preso; roubas muito e se tornará um rei” então o cara que foi preso porque roubou um pacote de biscoito, acho bem feito, parar de ser pobre de espírito, merece cadeira elétrica ou prisão perpetua, pois se ele tivesse roubado milhões contrataria um advogado, seria absorvido e iria curtir a vida.
Todo mundo tem pena do cara que foi preso, porque roubou um pacote de biscoito, mas a sociedade tem repugnância total por essa pessoa, ao contrário do que roubou milhões, que será bajulado por todo mundo.
A pessoa que roubou milhões não acontecerá nada com ele, será adulado, terá todas as mulheres aos seus pés, que depois de alguns anos irá escrever um livro, em que todo mundo comprará e será aplaudido e admirado pela sociedade.  O nome do livro será “O diário de um filho da puta!”  será um “best seller” e ainda dará entrevista no Jô Soares.
Isso não é somente no Brasil, em todas as partes do mundo acontece isso, o dinheiro que manda que o pobre merece mais se foder na vida. A questão primordial nesse texto não é o “certo” e o “errado”, mas sim como funciona realmente a sociedade. As coisas funcionam assim e ponto final.
Para quem esta lendo esse texto, que esta passando por dificuldades, não faça a coisa errada, não se misture com maus elementos, seja honesto porque a liberdade é a coisa mais importante na vida. Por mais difícil que seja  vida, sempre existe a segunda opção! Existem muitas pessoas más no mundo, mas ao mesmo tempo existem muitas pessoas boas que estão dispostas em ajudar o próximo. Procure ajuda e não faça as coisas erradas, principalmente se você for pobre. Por mais dificuldade que esta passando, mas ainda existe a sua liberdade, que é o seu único e precioso bem. Pensa nisto!
Por favor comentem o texto

Trabalho sobre o feminismo
http://www.marcioconsciencia.blogspot.com.br/

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Tiro no gay no Forte de Copacabana




Em1992, servi no Forte de Copacabana, durante o ano de alistamento obrigatório, onde fiquei 1 ano e 2 meses servindo. Quem serviu as Forças Armadas, principalmente o exército, sabe-se perfeitamente que aquilo é pior do que um inferno, onde os soldados comem mal, trabalham feitos escravos, são humilhados e maltratados 24 horas por dia, são punidos  sem motivos, e qualquer coisa é enviado para prisão. Pessoas têm certo “romantismo” do que é carreira militar, mas quem serviu sabe que loucura é aquilo.
No Forte de Copacabana, não era diferente, na minha época queria transformar em quartel operacional, e a minha corporação foi “cobaia” desse projeto. A corporação foi treinado como “quartel de guerra”, então foi realizado uma exibição para o general, que foi péssimo, e por causa disso o quartel foi transformado em museu.
No vídeo fala sobre “suposto” tiro que o gay levou do militar do Forte de Copacabana, mas o que acontece de verdade lá? Será realmente essa história? No forte existem seis postos para guarda, o mais disputado deles é conhecido como “Cerca”, porque é o único lugar que tem contato com as pessoas da rua, sem nenhum oficial ficar fiscalizando o soldado. Essa “Cerca” onde fica o Parque Garota de Ipanema, onde ocorreu o incidente.
Gays vão ao quartel paquerar os soldados
Muitas pessoas gostam de “homens de farda” e vão diretamente aos quartéis para dar “cantada” nos soldados, porque sabe-se que os soldados estão no “osso”. Muitos homossexuais vão exclusivamente dar cantadas nos soldados, alguns oferecem dinheiro, outros mostram a bunda para a sentinela, outros fazem gestos querendo sexo oral e assim por diante.
Isso desperta raiva de muitos soldados, cabos e sargentos, então principalmente à noite, quando pega um gay, não sobra nada dele. Costumava-se fazer ronda no Parque Garota de Ipanema, e via-se grupos de homossexuais fazendo sexo no parque, às vezes poucos metros da criança.
Os gays faziam sexo em qualquer hora do dia, mas os militares não costumavam fazer blitz de dia, por causa dos civis, mas a hora da vingança era à noite. No quartel havia um ditado: “à noite é um paraíso dos militares, ninguém está vendo. Aqui não existe direito humano”. Quando pegava um gay não sobrava nada dele.
Um dia um cabo pegou um gay fazendo sexo oral no outro no Parque Garota de Ipanema, que ele só deu tapa na cara nos gays. Os gays sabem dos riscos que sofrem indo ao parque, mas mesmo assim, eles querem desafiar. Muitos vão paquerar os soldados, fazendo gestos obscenos, achando que todo quartel têm homossexuais.
Isso que aconteceu no vídeo acontece com frequência, mas dessa fez deu “merda” porque foi disparado um tiro, que quase matou o gay. Se o militar não tivesse disparado, ninguém iria ficar sabendo, porque isso é normal em bater nos gays, no Forte de Copacabana.

Trabalho sobre o feminismo
www.marcioconsciencia.blogspot.com.br


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Pedofilia e a formação de futuros assassinos

Todos eles foram molestados na infãncia!
 Liberdade sexual destrói a sociedade!

O serviço de inteligência visa matar o número máximo de pessoas, sem que a população não se revolta contra o governo, umas das armas poderosas para isso é o sexo. Incentivar sexo livre significa a destruição total da sociedade, onde as pessoas perde a razão e vive no instinto totalmente primitivo, não medindo os seus atos e não à obediência das leis. Para destruir a sociedade primeiro deve destruir a religião, pregar o ateísmo para o individuo ficar livre para fazer o que quer, sem sentimento de culpa.

O feminismo foi fundamental para liberação sexual da mulher, dizendo que elas estão expressando a sua sexualidade, onde elas têm o direito de fazer o que quer com o corpo e se vestir da maneira que quiser. Roupas provoca estupro, podem espernear à vontade, mas essa é a realidade. Elas defendem dizendo que as mulheres vestidas e crianças são estupradas, então que a roupa não tem nada a ver com isso. Será mesmo?

Nos anos 80, houve uma grande epidemia de estupro no Rio de Janeiro, quando foi lançado o biquíni cavadão, onde os homens iam à praia para ver as mulheres. A partir dai começou o estupro e na época falaram que foi por causa do biquíni. Verdade ou mentira, muitos defenderam a tese, que isso não tinha nada a ver do biquíni, logo apareceu os seus defensores.

Então como explicar moças vestidas e crianças são estuprados também, principalmente os meninos? Em primeiro lugar moças vestidas são difíceis de acontecer, mas acontece, isso se dá o fato, de que o estuprador tem “curiosidade” de saber como aquela moça é sem a roupa, porque ele viu várias outras mulheres com roupas provocativas. Ou seja, essa moça que anda vestida paga pelo erro da outra mulher.

Sexo deixa o homem irracional, a ciência sabe disso, ele será capaz de fazer qualquer coisa para obter a sua satisfação sexual. Mas porque então ele estupra crianças e animais? A resposta é muito simples, porque é mais fácil, pois o animal não fala, e a criança muitas das vezes não.

Então como a mulher se tornou fútil ,mimada, interesseira e materialista, elas saem somente com homens de alto poder aquisitivo (que é a grande minoria) e a maioria dos homens ficam na mão, literalmente.
Como os homens são bombardeados por imagens de mulheres exuberantes pelos meios de comunicação, ainda mais veem várias gostosonas na rua, mas não saem com as mulheres porque são duros, o que lhe resta são as crianças porque são mais faceis.

Isso é feito de proposito, gerar na sociedade filhos indesejáveis (através da promiscuidade), filhos por estupros e principalmente aumentar a pedofilia, que irá gerar uma geração totalmente de assassinos. Grandes assassinos foram molestados quando eram criança, que cresce com ódio social muito grande, se achando sempre vítima social, querendo sempre vingança. Muitos serial killer foram abusados sexualmente na infância, que matam as sua vítimas de forma extremamente cruel. Várias civilizações foram destruídas por causa do mau uso do sexo, por isso que a maioria das religiões pregam contra o sexo, porque sabem o poder destruidor que ela tem.

No site  http://serialkiller.com.br/  da Ilana Casoy (sobrinha do jornalista Boris Casoy) fala sobre os seriais killer no país, que a mídia não divulga, negando que não existem seriais killers no Brasil. No site dela aborda muito as questões sexuais, que são geradores de assassinos na sociedade.
O governo sabe disso, eles odeiam a população, antigamente os governos matavam diretamente a população, mas agora “terceirizou” o assassinato, transferindo a sua responsabilidade de matar para mãos de outras pessoas, que vivem na sociedade, ficando assim mais fácil de manter no poder.

Uma noção sobre o assunto:
Conheça alguns Serial Killer pelo mundo

Pedro Alonso Lopez (300+)


Acreditava que era livre para
fazer o que quer
O mais mortal serial killer dos arquivos, conhecido como Monstro dos Andes, agiu em três países. Nasceu na Colômbia, mãe prostituta que o expulsou de casa aos oito anos de idade por ele ter acariciado sua irmã mais nova. Para piorar as coisas, foi recolhido por um pedófilo e sodomizado à força. Aos dezoito anos, foi espancado na prisão por uma gangue e se vingou matando três de seus algozes.

Ao ser colocado em liberdade, começou eliminando meninas com júbilo e impunidade. Em 1978, já havia assassinado mais de cem meninas no Peru. Mudou-se para Colômbia e Equador, onde matava em média de três vezes por semana. Tinha preferência em matar meninas equatorianas, pois segundo ele, eram mais gentis e confiáveis, mais inocentes. A polícia atribuiu o grande número de desaparecimentos de garotinhas às atividades de escravização e prostituição na área.

Em 1980, um dilúvio de sangue revelou a primeira de suas vítimas. Quando foi novamente preso, contou aos investigadores as assustadoras histórias de sua trilha de morte. No início, as autoridades estavam descrentes sobre o relatado, mas todas as dúvidas desapareceram quando ele mostrou o local onde estavam enterradas mais de cinquenta corpos. Acredita-se que trezentos assassinatos ainda seja uma baixa estimativa para este serial killer.

http://serialkiller.com.br/?page_id=14

Trabalho sobre o feminismo
www.marcioconsciencia.blogspot.com.br

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Funk, feminismo e libertinagem





 Ela seguiu o slogan do feminismo" "O corpo é da mulher, e ela faz o que quer!" 


(vídeo original)







Hipócritas satanizando o Mc Magrinho 
A falsidade feminista não tem limites, são as primeiras a defenderam a promiscuidade feminina, que o corpo são das mulheres, que elas têm o direito de fazer o que quer com o corpo, de transarem com quantos homens que quiserem, vestir a roupa que quer, mesmo andando pelada na rua os homens devem respeitar, e nunca serem questionadas.

Hoje a mídia brasileira perturbou fazendo escândalos, dizendo que a sociedade é machista, que faz a mulher de objeto, por causa desse vídeo, que todas as mulheres iriam ficar rotuladas. O que esse vídeo mostrou não chega aos pés, o que a Marcha das Vadias fazem, isso sim que rotula todas as mulheres de putas, porque elas fazem isso em público, pelo menos o funk esta num local fechado e especifico para isso.

No funk as pessoas vão porque quer, ao contrário da Marcha das Vadias, onde montes de putas ficam peladas nas ruas, mostrando os seios murchos, compostas de mulheres feias, que faz badernas na rua e invadem igrejas. Isso sim, que é vergonha.  Qual dos dois que é o pior o baile funk ou Marchas das Vadias? Quem fica gritando na rua que querem dar o rabo sem ser questionadas, são as funkeiras ou Marcha das Vadias?

Claro que é a Marcha das Vadias, ainda mais é totalmente apoiada pelo movimento feminista, que alega ser uma manifestação contra “mulher objeto”, que coloca a culpa na mídia, que a mulher é vitima porque perdeu o senso crítico.
Mc Magrinho respondendo para as feministas
Até mesmo a Lola Aronovich diz que vivemos na “Cultura do Estupro”, que as mulheres são estupradas, e a sociedade sempre coloca a culpa na vítima. Assistindo ao vídeo o Mc Magrinho, então ele é um estuprador, que a menina foi vitima, ele se aproveitou da situação porque ela estava supostamente bêbada? Mas a Lola no seu blog sempre apoiou a Marcha das Vadias, incentivando-as a fazerem mais marchas, para combater o suposto cultura do estupro, só pode ser brincadeira.

Não houve estupro algum, ninguém pegou a menina a força, ao contrário ela deixou se levar pela “empolgação” do momento, e fez aquilo que as feministas sempre defendem: “O corpo é da mulher, ela faz o que quer com o corpo!”. Aposto que essa menina participa da Marcha das Vadias, (ou pelo menos foi influenciada por elas), que estava procurando emoções fortes, mas quando acontece uma tragédia, o movimento feminista quer satanizar com todos os homens.

Morro não é parque de diversões, muito menos o baile funk, todo mundo que frequenta esse lugar, sabe o que se encontra lá, muitas drogas, bebidas, traficantes e pessoas extremamente perigosas. A mulher sabe dos riscos indo a esses locais, mas o movimento feminista fez uma lavagem cerebral nas mulheres tirando totalmente o senso de perigo. Quando a pessoa perde o senso do perigo, estará jogada a própria sorte, ocorrendo a sérios riscos de serem mortas, estupradas, humilhadas (como no caso do vídeo) e sofrer algum tipo de violência.

A Marcha da Vadia defendendo o baile funk e depois querem falar do video.
Isso mostra como o feminismo odeia as mulheres.


O Mc Magrinho disse que estava espantado do ocorrido, já que isso é normal acontecer nos bailes funks, então porque do escândalo? Na época do 2ª Grau haviam duas garotas que eram funkeiras (início dos anos 90), elas tinham 15 e 16 anos, e já tinham famas de rodadas. Até que um dia, a escola toda ficou sabendo que uma delas transou com 4 homens  ao mesmo tempo no baile funk dentro de um carro.  Ou seja, o que o Mc Magrinho falou sempre foi uma coisa antiga, ainda mais a falsidade do movimento feminista, que critica o tal ato, mas defende totalmente a Marcha das Vadias. Realmente vivemos no mundo hipócrita começando pelas feministas.




Trabalho sobre o feminismo


















quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Pedófilo diz que estupro infantil não deixam traumas


O texto abaixo foi escrito pelo filósofo Paulo Ghiraldelli Júnior, que se auto titula como “Filósofo de São Paulo, que mostra claramente como esse elemento defende abertamente a prática de pedofilia, que o estupro infantil não provoca traumas na criança, porque as crianças já possuem desejos sexuais, e pedem para serem abusadas pelos adultos, e quando crescer sentirá orgulho disso, de que foi molestado na infância.

As coisas estão tão escancaradas, que Paulo Ghiraldelli Júnior, falou na TV aberta que se envolveu com uma menor de idade de 16 anos, e ele tinha 50 anos. O pior que ele falou isso no programa do Jô Soares, onde tudo mundo achou engraçado, até mesmo o Jô, que não fez críticas a ele.

Ao contrário, quando o Padre Fábio de Melo deu a entrevista no Jô Soares com a camisa escrito “Todos contra a pedofilia” Jô Soares debochou do padre, e ainda cobrou mais austeridade contra os padres pedofilos, mas com Ghiraldelli, Jô achou engraçado.

Pior é que esse elemento, já deu entrevista no Café Filosófico, para ver como está a intelectualidade brasileira, pois como filosofo, ele é péssimo, é apenas um “papagaio inconsciente”, onde repete aquilo que esta escrito nos livros, sem formar a sua própria opinião, não passa de um especulador mental.

Um homem que se julga intelectual, que defende a pedofilia, e chama quem é contra essa prática de nazista, pois esse elemento merece ir para cadeia. Quando aparece um padre pedofilo, as mídias fazem escândalos, mas quando um “esquerdista” ou um gay (Luiz Mott, no seu livro “Moleque Ideal”) a mídia não diz nada.
Veja o vídeo e o texto abaixo:







Amor e sexo entre pequenos e grandes



Molestar criança não deixa trauma. Disse
Paulo Ghiraldelli Júnior
A nossa história está repleta de exemplos de uniões com êxito – legitimadas por épocas, locais e culturas correspondentes – entre pessoas de idades diferentes. A nossa história registra casos em que relações sexuais, até mesmo com certa violência, não deixaram marcas físicas e psicológicas em nenhuma das pessoas que estiveram envolvidas com isso na infância (lembrem de suas infâncias, leitores). A nossa história tem nos ensinado, também, que não são poucas as crianças que fantasiam experiências com adultos e que, uma vez perguntadas se foram “abusadas” sexualmente, dizem sim – com orgulho, de acordo com a expectativa dos que perguntam.
Esses três itens, se bem observados, já seriam o suficiente para que a “caça às bruxas” que nossa sociedade ocidental tem desenvolvido recentemente contra o que classifica de “pedofilia” fosse repensado. Todavia, parece que as pessoas que descobriram esse filão – a denúncia da pedofilia – já não estão mais interessadas em desenvolver esse tipo de reflexão que eu levo adiante, pois elas temem perder o emprego. Sim, infelizmente, a denúncia da pedofilia virou menos um dever de cidadão e mais um emprego. E eis que nossa sociedade começa a se aproveitar de um rousseuísmo perverso, disseminado entre nós, para condenar toda e qualquer prática de relacionamento que não se enquadre nos padrões que elas acham o correto. O resultado parece ser algo pouco saudável. O resultado nos coloca na busca de uma comunidade asséptica, que ao fim e ao cabo deverá punir todos os que não fazem sexo no estilo “papai e mamãe”, isto é, de pijama, só depois da novela e, enfim, rigorosamente com parceiros heterossexuais e de mesma idade.

Isso não é só hipocrisia. Isso não é só cegueira ideológica e, quem sabe, religiosa. Isso é nazismo. Tudo que destoa de um padrão que não é de fato padrão, pois ninguém segue, mas que é adotado como padrão por funcionários públicos e pessoas mal amadas, é transformado em crime. Começamos o retorno a um clima de Inquisição: todos são pecadores, todos são pedófilos, pois em algum momento entraram em um site – e tiveram tal atividade registrada no seu PC – que continha algum tipo de foto considerada por esses especialistas como “fora da lei”. Aos poucos, pais que tomam banhos com filhos começam a ser vistos como pervertidos. O terrorismo em uma sociedade pode ser feito de diversas maneiras.

Tudo isso é incentivado pela “denúncia anônima”, que é um perigo – todos sabemos. Cada um pode pegar seu telefone e denunciar o comunista de hoje em dia, ou seja, o “pedófilo”. Junto com o pai que não paga pensão, com o ladrão de galinha e com aquele que realmente nunca fez nada de errado mas tem inimigos, o pedófilo é agora o “top de linha”. Já ganha, de longe, para o suposto marido que agride a esposa. É o inimigo número 1 da nação. Pobre nação.

Aos poucos, na busca de conseguirmos uma sociedade melhor, em que pessoas que possam ser violentas sejam coibidas, damos passos largos para a criação de uma sociedade que ampliará a criminalização a um ponto de enfrentarmos os mesmos problemas que a sociedade americana enfrenta. Qual? Hoje, os Estados Unidos possuem um número de presos que é proporcionalmente o dobro do de outros países campeões nessa modalidade. Visivelmente isso não é Justiça; é isso que os americanos discutem atualmente. Eles se perguntam: em que momento de nossa história demos o passo errado e criamos um monstrengo que faz com que todo e qualquer cidadão possa ter uma ficha policial com alguma infração? E pior: em que momento entulhamos nosso aparato judiciário de modo que os crimes que realmente prejudicam a sociedade como um todo foram deixados de lado?

Estou longe de querer deixar crimes impunes. E mais longe ainda de fazer a defesa de algo como a pedofilia. Mas não concordo com a forma como a nossa sociedade está julgando várias pessoas, sem levar em conta nossa tradição cultural, sem considerar o que de fato consideramos correto no Ocidente, e o que é e o que não é “abuso sexual” com crianças e jovens.

Nisso tudo há uma falta completa de reflexão filosófica. E as pessoas que estão envolvidas em órgãos que buscam coibir a pedofilia, nem sempre se mostram preparadas para entender situações que só com mais esclarecimento intelectual e mais vivência poderíamos entender. Uma coisa que essas avaliações não levam em conta é que crescer e se tornar adulto não é uma tarefa fácil. Nem todos conseguem. Talvez, até, possamos dizer: poucos conseguem. Parece natural nascer e crescer e ficar adulto. Mas não é natural. É um processo social e histórico.

Caso os que estão envolvidos em estudos sobre pedofilia, abuso sexual, relacionamento familiar, violência doméstica etc. quiserem começar a pensar seriamente, podem inciar pelo filme “Little Children” (“Pecados íntimos”, no Brasil). Ele esteve em nossos cinemas, e agora já está disponível nas locadoras. Não prestem atenção somente no pedófilo do filme. Prestem atenção em todos os personagens. Cada um deles, em um determinado momento, ainda está preso em sua própria infância ou em uma situação em que a infância ainda não se tornou coisa do passado em sua vida. Apesar de todos serem oficialmente adultos e de todos tentarem cumprir, como nós, suas obrigações sociais, todos os personagens são um pouco ... infantis. Cada um de nós, de algum modo, é um daqueles personagens. Cada um de nós não cresceu tudo que queria ou tudo que deveria. Somos “pequenas crianças”. E as crianças, muitas vezes, sabem disso. No limite, às vezes é mais fácil uma criança levar na brincadeira – e não ficar traumatizada – um jogo sexual proposto por um adulto do vermos tal jogo ser aceito entre dois adultos que estão marcados por outros traumas. Os olhos dos adultos é que ficam marcados, e não por terem sido atacados, quando crianças, por supostos pedófilos.

Isso precisa ser levado em conta para analisar cada caso, e ver a diferença entre alguém que precisa de um tratamento por ser pedófilo e alguém que está propondo práticas – que no limite não serão malévolas – que são as possíveis de serem propostas segundo uma série de fatores culturais.

É claro que quando se fala de sexo, há pessoas que ficam de cabelo em pé. As mesmas pessoas que não se chocam com a morte bárbara de uma mulher esfaqueada ficam horrorizadas se uma outra mulher morreu em um estupro. A faca na garganta não tem importância. Mas um apertão no pescoço em uma luta de abuso sexual, esta sim, é crime bárbaro e um pecado. Um bandido que dá um tiro na cabeça de uma criança deve ir para a cadeira elétrica ou pegar prisão perpétua, dizem muitos. Mas dizem, às vezes, sem ódio. Agora, um bandido que estupra uma menina de 10 anos, nem pode ter sua identidade revelada, as pessoas não querem esperar qualquer julgamento, querem linchá-lo e, principalmente, terem o prazer de cortar o pênis do homem.

Esse segundo tipo de desejo, o de castrar pessoas, deve ser observado e estudado. As pessoas que desejam castrar o estuprador ou o que chamam de pedófilo, não raro, são tão ou mais perigosas que o pedófilo. Ele, pedófilo, se de fato é alguém que quer abusar de crianças à força, ataca individualmente. Os que querem castrá-lo são pessoas com sentimentos tendentes à direita, e podem atacar coletivamente. Podem incentivar o fascismo.

Enquanto não entendermos que é difícil ficar adulto, e que isso deve ser estudado, não iremos nos transformar em uma sociedade civilizada. Temos de compreender melhor o que o somos, para podermos saber quem de nós precisa ou não de ajuda, quem não está conseguindo crescer, ficar adulto, e quem pensa que está fazendo isso melhor do que outros. Não vamos chegar a bom termo criminalizando várias práticas sociais que até bem pouco tempo, havíamos elogiado. O amor entre pessoas de idades diferentes foi e, em alguns lugares ainda é, é uma prática incentivada no Brasil. E visivelmente desejada. Muitas de nossas avós casaram com homens bem mais velhos, quando ainda eram meninas. Não foram infelizes. Muitas meninas atraem propositalmente homens mais velhos, e isso não é o fim do mundo. Muitos relacionamentos homossexuais se dão de modo melhor quando há grande diferença de idade, e isso não traumatiza ninguém. Regras rígidas e sem uma base de estudo podem nos conduzir a criar um Brasil como prisão coletiva ou simplesmente uma sociedade infeliz.

Paulo Ghiraldelli Jr. – O filósofo da cidade de São Paulo

Fonte:




O pior está nos comentários do youtube, que as pessoas vê esse elemento como grande intelectual brasileiro, que quer ser igual a ele, quando crescer, ou seja, um defensor de pedófilo  No blog se vê visivelmente pessoas elogiando o Paulo, dizendo que ele é corajoso por escrever esse texto. Realmente a educação brasileira esta uma porcaria, criticam o Big Brother, mas elogia um pedófilo  pior de tudo ainda dá palestras e conferências. Como ninguém denunciou esse blog ainda?

O pior que o Paulo tem complexo de superioridade, todo mundo para ele é burro, nos comentários ele chama os outros de burros, porque não entenderam a mensagem dele, que não estava defendendo a pedofilia. Nos comentários do youtube, ele chama todos de burros, quando discorda da filosofia doentia dele. Enfim ele se titula como filosofo do Estado de São Paulo, mas os cidadãos de São Paulo considera mesmo essa figura?

Trabalho sobre o feminismo
www.marcioconsciencia.blogspot.com.br




terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Ateísmo declara guerra à Igreja




Ateus usam a internet para ofender os religiosos e os cristãos



Movimentos ateísta declarou guerra as religiões fazendo ataques direito aos religiosos através da internet, seja nos sites, blogs, facebook ou vídeos do youtube, eles demostram um ódio a tudo aquilo que é relacionado às religiões, que eles são pessoas inteligentes, que os religiosos são pessoas burras e ignorantes.
Usam palavras de baixo calão, xingamentos e fazem charges ridicularizando os símbolos religiosos. No youtube eles estão tomando conta, com seus vídeos de alto conteúdo preconceituoso e ofensivo aos religiosos. Não ofende apenas os religiosos e os seus símbolos, mas fere diretamente a imagem do Jesus Cristo e Deus, que este último é chamado de “amiguinho invisível”, que a bíblia é um livro de conto de fadas.
Cristo representado como simbolo dos Caça Fantasmas
O pior de tudo, que eles não são homens de assumir as suas autorias, sempre apelando para o religioso não revidar dos ataques deles. Ou seja, eles querem
 bater sem apanhar, porque eles sabem que podem ser engolidos pela sociedade. Ou seja, se o religioso revidar os ataques deles, os ateus vão dizer: “Oferece o outro lado da cara!”  “Se você revidar é porque é mau!”, etc.
  Os religiosos tem que parar com a mania, que deve ser passivo perante as adversidades da vida, existe uma coisa que se chama “quando o ensinamento volta contra nós mesmo!”, isso quer dizer quando uma pessoa pega uma crença nossa e usa isso como arma para nós mesmo.
Por exemplo, no cristianismo se fala “Não julgarás!”, “não a violência!”, etc então um individuo faz uma coisa errado contigo e se você for reclamar com ele, essa pessoa irá falar “você não é cristão, porque esta me julgando”, se alguém agride uma pessoa da sua família e você for tirar, satisfação essa pessoa  irá falar: “você não é cristão? Cristão é contra violência!”.

É justamente que os ateus fazem para ofender e agredir os religiosos, mas essa técnica nunca funcionaria com o Islã, porque os muçulmanos tem consciência disso. Ao contrário dos cristãos, o Islã defende a sua religião e nunca deixariam falar mal ou fazer charges ridicularizando os seus profetas, como os ateus fazem com o cristianismo.
Por enquanto os ateus estão se dando bem, mas ao mesmo tempo se fazem de vitimas dizendo que são os mais odiados da sociedade, mas não fala o motivo.
Ninguém é obrigado a acreditar em nada, em Deus ou em Deuses, mas usar o ateísmo como forma de desafiar a sociedade e ser um rebelde sem causa, isso futuramente haverá efeitos negativos da sua vida, porque no ateísmo não conhece limites dos seus atos e querem se auto justificar atacando as religiões e os religiosos.







domingo, 9 de fevereiro de 2014

Download dos livros de Nessahan Alita

Conheça os livros do Nessahan Alita, que fala sobre sexo, relacionamentos e como lidar com as mulheres, que ajudou vários homens a superar os seus traumas por causa de relacionamentos. Conheça a real e muda de vida! Não comete besteiras de querer agredir, matar ou destruir a mulher, só porque ela te abandonou.
Ninguém abandona alguém, nós mesmo que nos abandonamos, porque a pessoa amada não ficará para sempre no nosso lado, mais  cedo ou mais tarde irá terminar. Despreza a mulher que te abandonou, esquece-a  começa pensar em você, não faz besteira de querer matar e cometer suicídio, porque a sua família, pai, mãe, irmão, irmã, primos, tios e tias te amam muito, pense neles e não na mulher que te abandonou. Eu te faço esse apelo, não por causa da mulher, mas por você mesmo. Leia esses livros que vão te ajudar muito!


Seja feliz e supera as paixões!

Trabalho sobre o feminismo
www.marcioconsciencia.blogspot.com.br

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Os cientistas trabalham realmente para o bem da humanidade?


Charge satirizando os cientistas: "como fazer um míssel de bolso" para matar pessoas.
Todo mundo adoram e idolatram os cientistas, pois as pessoas os consideram homens inteligentes, que transforma à sociedade, evoluindo o mundo. Criam vacinas, curas e salva vidas das pessoas. Mas, infelizmente as maiorias das pessoas pensam dessa maneira. O analfabeto, em que todo mundo discrimina e humilha aquele individuo, que não tem estudos.
Realmente os cientistas curam as pessoas, ou tudo que eles fazem é para destruir o mundo? Trabalho em latim significa “Instrumento de tortura” onde aparecem várias doenças, pois a ciência vai somente ao efeito e nunca na causa da doença, que é excesso de trabalho, salários baixos e a preocupação da sobrevivência do dia a dia. Os cientistas e o governo provocam a doença na sociedade e depois oferecem a cura, com a finalidade de obter mais lucro na indústria da doença.
Existe uma metáfora do dentista, que foi morar numa cidade pequena, que chegando lá vê que nenhum morador daquele local não tinha cárie. Então ele reparou que no lugar não vendia doces e teve uma grande idéia: Abrir uma loja de doces.
Assim que abriu a loja de doces, o dentista começou vendê-los muito barato, da qual que todos podiam comprar. Os moradores do local  das redondezas começaram a comprar balas com ele e depois de algum tempo todos começaram a ter cárie. O dentista conseguiu o seu objetivo e abre a clínica dentária no local.
Assim que é a ciência, um dentista que dá doce para as pessoas ficarem felizes e depois ficarem dependentes deles, em vez de “não dar e nem vender doce” que é a raiz do problema.
A cura de uma doença nos dias de hoje, obtém somente quem tem dinheiro para pagar um plano de saúde. Uma vez um paciente foi operado, depois da operação o médico foi ao paciente e disse:
- Pode agradecer fiz um excelente trabalho!
- O plano não cobriu tudo, e tive que pagar R$ 15,000 para a operação. Se não tivesse dinheiro na hora, você doutor iria me deixar morrer. Então não vou agradecer nada!
Na prática um analfabeto deveria ser mais valorizado do que um cientista. Sei que eu falo, porque convivi muito com essa espécie, pois eles estudam somente para destruir a sociedade.
Quem inventa bomba atômica, armas de destruição em massa, armas químicas e biológicas, vacinas para te contaminar, terror psicológicos através dos meios de comunicações, etc são criados por pessoas inteligentes e não por um analfabeto.
Uma vez estava na Fundação Getúlio Vargas, assistindo à uma palestra de um capitão do excército, dizendo com maior orgulho: “A minha profissão é estudar para matar o número máximo de pessoas, fico o dia todo trancado num laboratório aperfeiçoando armas de destruiçao em massa!”.
Faço a seguinte pergunta: “Onde tem inteligência nisso, em matar o maior número possível de pessoa?”. Se fosse para defender a pátria, tudo bem, mas não é isso, essas armas serão vendidas, para matar pessoas que estão na África e no Oriente.
Pior de tudo, a nossa sociedade acha normal, quando matam esses povos. Acham tão normal, que estamos a sendo exterminado e ninguém acredita. Ainda querem endeusar os cientistas?