quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Raça negra: Símbolo de dor e sofrimento




O passado sempre presente na vida dos negros.


Como disse antes sou pós graduado em História da África e do Negro do Brasil, pela Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro. Quando fiz o curso aprendi coisas, que não são ensinados nas escolas e  nem graduação e fiquei muito surpreso o que foi ensinado no curso.

Uma das coisas que mais foi comentado no curso, o porquê do negro não subiu socialmente, como foi as outras raças?  E a resposta foi unânime no curso, foi que a história vitimizou o negro, fazendo com que fique sempre preso no passado, impedindo assim o seu desenvolvimento social.

Quando vitimiza um grupo, esses indivíduos ficarão estagnados, pois já nasceram estigmatizados pela sociedade. Fala-se tanto em racismo, que já relacionaram os negros como símbolo de dor e sofrimento, pode reparar que quando os grupos sociais como exemplo, gays, lesbicas, deficientes, etc sempre se compara com os negros.

Esse pensamento social acaba destruindo a auto estima do negro, pois ele sempre é associado com pobreza, doença, miséria, etc ou seja a tudo que não presta.


Fazem filmes como “Cidade de Deus”, “Tropa de elite” etc com a finalidade de mostrar a “realidade” dos negros que mora nas comunidades. Ninguém precisa mostrar a realidade para eles, pois eles não precisam de filmes, pois a vida já mostra para eles.

Isso já destroem a auto estima deles, pois o jovem negro irá pensar: “esse que é o meu destino, ser traficante, tomar tapa na cara da polícia, ser preso e no final tomar tiro na cara, para ser enterrado com indigente?”.

Porque não ensina para pessoas de comunidades carentes, que na vida sempre existe a segunda opção, por mais difícil seja a vida existe a segunda opção. Não porque você nasceu numa comunidade carente, que é negro, que já nasceu estigmatizado em trabalhar em sub empregos e ser visto na sociedade como  “coitadinho”, nunca permita ser visto assim.

Mulher negra: o simbolo máximo do sofrimento


Eu já sofri muito preconceito na vida e aprendi superá-la e sei que estou falando. Fui atropelado e perdi a fala, ficando praticamente mudo (força de expressão, eu falava, mas ninguém entendia nada) e sempre sentia pena de mim mesmo.

Até que um dia ouvi de um mestre espiritual: “nunca se considere vitima das circunstâncias mesmo sendo, não se considere vitima. Senão ficara preso numa prisão psicológica, uma espécie de prisão sem muros”.  Segui o seu ensinamento e superei.

Você que é negro nunca deixa as pessoas te associar ao sofrimento, senão sentira pena de si mesmo, que levara a destruição. Conheço muitos negros, que se drogam, álcool, crises existenciais, depressão, etc por não aceitar a cor da sua pele. Não permita que seja associada a dor e ao sofrimento.

O jornalista Márcio de Andrade é pós-graduado em História da África e do Negro do Brasil pela Universidade Candido Mendes, RJ.

Vejam Também
Morgan Freeman,o Negro de Alma Branca
http://quebrandoosmitos.blogspot.com.br/2012/11/morgan-freeman-o-negro-de-alma-branca.html

10 comentários:

  1. Estou gostando muito do seu blog, parabéns.

    A imagem que muitos no ocidente têm sobre os negros é que os mesmos constituem uma "raça" fracassada que sempre estiveram na retaguarda do desenvolvimento e do sucesso.

    Mas, se você for estudar a história da África com mais profundidade (e com honestidade intelectual), verá que a mesma, em tempos remotos, já foi o continente mais avançado do planeta. Com civilizações que dominavam com maestria a metalurgia, a escrita, a arquitetura etc.

    Os próprios egípcios, antes de serem conquistados por Alexandre, O Grande, eram sobretudo negros:
    http://books.google.com.br/books?id=7i9ckWxBK-MC&pg=PA16&lpg=PA16&dq=%22muito+bem+nascidas%22+egito&source=bl&ots=utZIjb9Ze-&sig=BYTF5lYxRtuyG_9z1VO6mJ8xpfY&hl=pt-BR&sa=X&ei=3hPtT4mhM4n48wTjtu2zDQ&ved=0CEEQ6AEwAA#v=onepage&q=%22muito%20bem%20nascidas%22%20egito&f=false

    O mundo dá voltas,as civilizações se alternam no poder. Houve um tempo em que a África tinha civilizações muito mais avançadas do que a Europa. Portanto, não faz sentido assumir a superioridade da "raça" branca ou qualquer outra "raça" sobre os negros.

    Foi bom você ter escrito esse texto porque, na real, existem uns sujeitos racistas que inviabilizam o movimento. Os caras querem uma real branca! Eu mesmo parei de participar das comunidades (também) por causa disso.

    ResponderExcluir
  2. Seu blog visa somente, e tão somente,
    reforças a idéia de meritocracia e merito pessoal, não
    tem a menor ligação com a verdade histórica da negritude.
    Sou negro, Sociólogo, atuando no NEPP-DH/UFRJ
    formado em Ciências Socias pela UFRJ, com
    curso de Extensão em História, memória e lutas sociais pelo NEPP-DH.
    Hoje sou mestrando em Ciências Sociais pela UFRRJ/PPGCS.
    Não me venha mais com esse blog, que não é só uma distorção,
    bem como serve pra reforçar o paradigma vigente meritocrata, responsável
    por manter os negros em condição de sulbalternos. Não é a memória histórica que
    cria estigmas sociais, mas o contrário, esses estigmas são produto da história. Os negros
    estão em condiçõe de subalternos, grosso modo, como produto da história, da escravidão,
    e não é escondendo essa memória, e tão pouco a tornando invisível que isso mudará. As afirmações
    que vc faz em seu blog é de um desonestidade intelectual fora de série. Como afirmou vc ser negro, eu
    digo, contra nós não!
    Desmistificar a imagem deprecistiva do negro não passa pela negação do racismo, pela afirmação
    que há possibilidades iguais para chegarmos a uma universidade, quando de fato a realidade prática da vida é outra,
    não passa por fingir que isso não existe, e sim pela revelação, e desconstrução dessa imagem. E pela interveção prática
    na realidade.

    P.S. Essa idéia é apenas a forma mais tosca do pensamento de setores médios da sociedade, um pensamento meiocre e pequeno burguês, chegando ser reacionário!

    [...] após gerações, a sociedade branca forjou uma
    imagem depreciativa à qual certamente [os discriminados]
    não tiveram força para resistir. Desse
    ponto de vista, esta autodepreciação tornou-se
    uma das armas mais eficazes de sua própria
    opressão. Seu primeiro objetivo deverá ser desembaraçar-
    se dessa identidade imposta e destrutiva. (Taylor, Charles. 1994)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você que tem uma visão tradicional do negro como vitima da sociedade, parece que necessita disso para viver. Você acredita realmente que as ciências sociais estão preocupados pelas questões dos mais pobres e necessitados, tanto o livro que você estuda são feitos pelos "burgueses" que tanto critica? Vocês mesmo que criam essa realidade, quando falam "nunca vi um negro médico, advogado, juiz, etc" falam contra vocês mesmo, só sabem falar que a maioria dos presidiários são negros, piores empregos são dos negros e assim por diante. São vocês mesmo (principalmente cientistas sociais) que reforçam esse pensamento na sociedade, você acredita que ficar se lamentando irá mudar o pensamento da sociedade? Você me chama de desonesto intelectual, mas são os cursos que você estuda, que mantém vocês nessas situações de inferioridade. Você nunca questionou que a ciência social, antropologia, jornalismo, a área de ciências humanas em geral, estão nas mãos da elite dominante, que são eles que determinam o que deve ser ensinado nas universidades? Quem é aqui bitolado e medíocre, sou eu ou você?

      Excluir
    2. Esse é mais um exemplo dos doutrinados pelas universidades onde são totalmente dominadas pelo pensamento coitadista e vitimista da esquerda,continue seguindo os ensinamentos que vc tem nas universidades que vc continuará sempre sendo visto como um negro coitado e fracassado.

      Excluir
    3. Excelente resposta para um coitado doutrinado pelo pensamento coitadista e vitimista da esquerda,as malditas Ciências sociais são os curso mais mentirosos que existem nas Instituições de Ensino Superior só servem pra fazer doutrinação marxista.

      Excluir
  3. Como pode um historiador cair como um pato no discurso da biologia e das causas motrizes, justificando todo os efeitos da escravidão, até mesmo sobre quem nunca foi escrevo, com estes argumentos, esquecendo de que racismo, preconceito, barreira à ascensão social etc. etc., é uma prática social que vigora até hoje, a ausência de mobilidade social dos negros não lhe diz nada historiador? É certo que discursos tem função legitimadora de práticas sociais e institucionais, porém dizer que tudo pode ser explicado a partir daquelas vertentes citadas acima não é plausível, um inglês trazido para o brasil em tenra idade e educado segundo nosso padrão cultural e por brasileiros pais adotivos não parará às 06:00 para tomar seu chá, pois isto é uma prática social(fato social).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui não estou falando de biologia, mas sim de comportamento, pois os governos conseguiram o objetivo deles que é colocar complexo de inferioridade num determinado grupo social, nesse caso são os negros.

      Colocar complexo é a melhor forma de controlar um grupo, você acredita que ficar reclamando da vida irá mudar a realidade de vocês? Você quer as pessoas sentem pena de ti? O mal da raça negra é que tem tão preocupação de ser aceito pelas outras raças que nem acaba aceitando a si mesmo.

      A melhor forma de dominação é fazer com que as pessoas ficam presas no passado, até quando os negros vão levar a lembrança da escravidão? Não reparam que istto é o motivo do cativeiro de vocês?

      Pense sobre isto!

      Excluir
    2. Não tem jeito essas idiotas úteis doutrinados pelo marxismo cultural sempre vão continuar se colocando como vítimas e coitadinhas e assim ajudam a aumentar a miséria e o estigma de vítimas deles mesmo impedindo a sua própria evolução.

      Excluir
  4. Excelente raciocínio,todos esses movimentos coitadistas e vitimistas só fazem destruir a vida de uma pessoa ou do grupo que defendem e a esquerda adora isso,se os negros pararem de se verem sempre como coitados e vítimas da escravidão é claro que nunca vão subir na vida,outro exemplo que mostra na foto é a mulher negra que é sempre retratada como mãe solteira e guerreira mas que na verdade é uma produtora de marginais pra sociedade.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o autor do texto. Os negros não se aceitam, a maioria se considera inferior e acaba se vitimizando. Pregam por ai que o negro tem o biotipo físico mais desenvolvido que as demais raças, mas é inferior no quesito QI. Vcs acreditam mesmo nisso? Sem educação qualquer terá menos chance de ser um cientista, Médico, advogado e por ai vai. Já estamos no século XXI, é hora de esquecer o passado.

    ResponderExcluir