domingo, 31 de julho de 2016

Movimento da Real X MGTOW



Não tenho muito acompanhado os materiais que são divulgados pela Real e do MGTOW, senão perderia muito tempo analisando tudo, mas sempre vou por principais tópicos. Um critica o outro, mas na essência é a mesma, sair do domínio de uma mulher, ser desapegado delas, vivendo assim uma vida mais tranquila.

O movimento MGTOW acusa os Guerreiros da Real de consermangina, que são aqueles, onde acredita na mulher exceção, “mulher honrada” para constituir uma família. Em certo ponto eles estão certos, mas no inicio da Real não acreditava na mulher exceção, falava muito em se relacionar com prostitutas. Muitos falam que a Real tem várias vertentes, mas isso é um engano, porque a Real é uma só, o que aconteceu foram alguns Confrades modificaram a filosofia para adaptar a sua realidade.

Muitos criticam a Real, mas esquecem de que fomos nós que começamos tudo na época do Orkut, pior são aqueles que criticam Nessahan Alita, esquecendo-se também, sem ele não existiríamos. Se a Real não faz parte da vida de vocês, pelo menos respeitam onde começaram.

Muitos Guerreiros ainda sonham em casar com uma princesa.
Critico também esse negocio da Real em acreditar na “mulher exceção” e “mulher honrada” numa época onde o feminismo fez uma lavagem cerebral em escala mundial. Na realidade a sociedade não conhece o poder da propaganda e marketing, onde conseguem mudar totalmente o comportamento das pessoas. Por isso, que devemos trabalhar e se desenvolver nós mesmos, não queira mudar o mundo, porque não iremos mudar os pensamentos dos outros. Nunca queira mudar os pensamentos dos outros, porque isso desperta raiva e ódio no outro, você que deve mudar a si mesmo.

Já perguntaram para mim, se sou a favor ou contra relacionamentos, mas sempre dou a mesma resposta, “Não sou favor e nem contra, cada um sabe o que é melhor para si mesmo. O que sou contra é ficar fazendo propaganda, por exemplo, se namoro quero que todo mundo namora, se não namoro quero que todo mundo não namora! A Real não é para ditar regras, mas sim mostrar a realidade, se relacionar ou não é uma decisão pessoal sua!”.

Já vi Guerreiros antigos xingar os outros dizendo: “Não querem casar seus filhos da putas? Até quando vão continuar comer putas? Não vão constituir famílias?”, para mim ele apelou, obrigando os outros a se relacionarem. Na MGTOW ocorre a mesma coisa ao contrário: “Otário, mangina, querem casar vão se fuder!”, na realidade entendo os pensamentos deles, mas não deve interferir na decisão do outro.

Homens de status têm todos os motivos do mundo para não se relacionar.

Na minha opinião como observador, que ambos os lados estão confusos, querem convencer a si mesmo que estão certos, um lado o GDR querem um relacionamento, onde preferem não perder a fé na mulher, outro lado não querem se relacionar porque já perderam totalmente fé nelas. Como escrevi no outro texto sobre MGTOW, que homem simples não deve ter preocupação de perder coisas para as mulheres, mas homens de status social tem essa preocupação, por isso não critico os comportamentos deles.

Mas, o que está em jogo é a sua saúde mental, entrar em paranoia a tal ponto ter fobia de mulheres. Chegar a tal ponto de não querer chegar perto de uma mulher, ter aversão total delas, podendo até mesmo prejudicar profissionalmente. Nós precisamos nos relacionar com as pessoas, por questões de sobrevivência, mas pegando raiva das mulheres, poderá te prejudicar no ambiente de trabalho ou na faculdade, quando for fazer um trabalho em grupo, pois em vez de realizar a tarefa, vai ficar lembrando das coisas e vai jogar as coisas na cara delas, queimando assim o seu filme.

Esse negócio de pegar raiva das mulheres pode levar para homossexualismo, pois já vi várias postagens defendendo essa prática como forma de protesto contra as mulheres. Por isso, muitos acabam traindo a Real, por não saber superar a fase do ódio, então pensa: “Melhor ser mangina do que ser viado!”. Muitos já estão loucos e não sabem, tem um Traidor assim, que não fala mais coisa com coisa.

Cada homem deve buscar o seu ponto de equilíbrio, observando sempre as consequências dos seus pensamentos, atos e ações, raciocinando sempre para chegar ao ponto te livrar do sofrimento. Não resolvendo os problemas das paixões irá destruir a sua vida, o feminismo é uma guerra psicológica, que visa destruir a mente do homem e não o corpo, gerando assim vários tipos de bloqueios, impedindo assim o seu desenvolvimento.

Sejam Felizes e Superam as Paixões.


Márcio de Andrade

6 comentários:

  1. A real é um movimento muito disperso, as vezes parece uma batalha de ego masculina, parece que competem pra ver quem é o lider mais fodão que fala mais palavrão ainda mais os que chamam o leitor de paspalhão, por isso muita gente não leva a sério.
    Parece que estão lutando entre si pra decidir quem é o macho alfa que vai ficar com a lendaria mulher excessão.
    Não agem como movimento organizado nem tem um plano de ação, não tem objetivo definido nem meta, por isso a real não sai da teoria.
    Mas a culpa mesmo é dos homens que só sabe mostrar força na agressividade em vez da estrategia.
    Se os homens fossem estrategicos, nessahan alita nem precisaria ter escrito aqueles livros.
    O que impede os homens de ser estrategico é as paixões, a falta de frieza racional e os instintos de agressividade.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nisso devo concordar com você, muitos têm um super ego, querem ser chamados de mestre e gurus da Real. Já vi postagens de guerreiros mais antigos se titulando mestre e tratando os leitores como fossem os seus discípulos. A pior parte foi quando falou que iria sustentar a mulher de tudo que é do bom e do melhor se ela fosse virgem, que nem precisava trabalhar, onde iria dar de tudo.

      Muitos falam em desenvolvimento pessoal na intenção de ter dinheiro para pegar mulher futuramente, por isso, que muitos estão na matrix ainda.

      Mas, no início da Real não acreditava na mulher exceção, isso é recente esse tipo de pensamento dentro do movimento. O que me deixa com raiva, quando muitos querem pagar de fodão, tratando os leitores como fossem crianças. Muitos estão dominados pelas paixões, tem medo de ficar sem sexo, não conseguem superar a fase do ódio, por isso, voltam para a matrix.

      um abraço!

      Excluir
    2. não existe "plano de ação"...existe conduta e honra...Imagine se todos os que são adeptos do movimento da real ou MGTOW saissem em "passeata" de domingo..com cartazes...expondo tudo isso.....
      Somos homens....não precisamos disso....isso é coisa de boiola....Nenhum desses movimentos precisa desse tipo de "ápice"..O que precisa ser feito é conduta no dia dia....mudar o trato com mulheres (certas)...ou as que vc conseguir identificar as que não merecem nada mesmo...A grande pergunta é : sabemos identificá-las corretamente ? Existe mulher-exceção ?

      Excluir
  2. Acredito que devemos sempre ter em mente o nosso papel de homem e não de babaca de mulheres. A real é excelente para abrir a nossa visão, só temos que tomar cuidado para nao virarmos fanáticos!

    Aproveito aqui para fazer uma parceria e divulgar meu blog, que trata sobre questões da real, betas, finanças e mulheres:

    www.pobre-diabo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Em primeiro lugar mgtow não é nem sequer um movimento, é uma filosofia de vida.Quando um homem se torna mgtow ele não precisa necessáriamente desistir das mulheres, porém ele precisa perceber que o casamento é uma instituição falida e que a sociedade é misandrica e ginocentrica.O que um mgtow simplesmente tem que perceber é que ele não é capaz de mudar o sistema por si só .Na verdade para um mgtow foda-se caso o sistema mudar ou não o que importa é que ele deve seguir seu próprio caminho e foda se a sociedade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso que você disse, era assim no principio da Real, tocar um foda-se para a sociedade e para as mulheres, o que falo para tomar cuidado para não entrar na paranoia. Sei que o MGTOW e a Real ambos são uma filosofia de vida, mas a partir do momento que tem um grupo que divulga as suas ideias, se torna um movimento.

      Um abraço!

      Excluir