quarta-feira, 1 de maio de 2013

A minha ex-namorada médica

Coleção das histórias das minhas ex


Agradeço a minha vida ao budismo!

Depois que passei um verdadeiro inferno na Terra, por causa da mulher que cometeu suicídio, fui morar no mosteiro budista, por quase 2 anos, para recuperar a minha saúde mental, que me encontrava extremamente debilitado do que tinha acontecido comigo. Graças ao monge do Sri Lanka, (que o considerava como meu pai) me amparou no momento mais difícil da minha vida, pois se estou vivo, agradeço a esse monge.
Um amigo tinha aberto uma academia de dança de salão, e me chamou para trabalhar junto com ele, porque tinha anos de prática de dança, em todas as modalidades. Chegando lá conheci uma mulher linda, que era estudante de medicina, que foi o amor à primeira vista. Na época tinha 25 anos e ela 24 anos de idade, mas dessa vez fui correspondido, parecia um filme de amor, numa pureza angelical, parecia que nós tínhamos sido abençoados por Deus.
Ela estudava na Federal!
Estava totalmente cego de amor, mas estava com paranoia por causa dos relacionamentos anteriores, porque eu era sempre abandonado por causa do meu status social. Ela não ligava para isso, me procurava e sempre declarava para mim. Um dia, eu a convidei para ir ao mosteiro comigo, para mostrá-la que era um homem sério, que estava afim de um relacionamento sério, que não iria fazer nenhuma maldade a ela. Ela foi e levou a sua irmã. No dia do meu aniversário, comemorei no mosteiro, ela foi e até levou a irmã, foi quando aconteceu o primeiro beijo. Mas, mal sabia, que estava voltando novamente para o inferno, foi apenas 1 mês de relacionamento, mas o estrago que causou, foi pior de todos os relacionamentos juntos. Para ter uma ideia, o que passei com a mulher, que cometeu suicídio, não chega nem aos pés, do que aconteceu com essa estudante de medicina.
Estava em casa, quando tocou o telefone era a estudante de medicina, e fala para mim “Márcio, quero falar uma coisa contigo, venha até aqui!”, pensei “Caralho, acho que ela vai terminar comigo!” porque todas as namoradas, que tive quando terminaram comigo falaram essa frase.
Pensei “Caralho, se ela terminar comigo, estou fudido! Estou loucamente apaixonado, por essa mulher!”. Quando cheguei ao local combinado, ela começa a chorar, dizendo que queria terminar o namoro, porque a mãe dela mandou não namorar um pé rapado, fudido, que nem tinha instrução, que usava a dança como modo de sobrevivência. Ela estava nervosa, conversamos, dizia que a amava, não poderia ficar sem ela, e ela responde a mesma coisa. A partir dai, o meu sistema nervoso, começou ficar abalado, voltando às paranoias dos relacionamentos anteriores.
Ela gostava realmente de mim, até me procurava, mas começou entrar numa de querer me esculachar, que era um duro, como ela era uma estudante de medicina, namorar um homem, que não tinha ensino superior. Então ela fala “Minha mãe esta certa, você não tem nada, que futuro pode me dar? Ela quer melhor para mim!”, então indaguei “Como a sua mãe sabe, o que é melhor para você, se o casamento dela foi uma merda! A mesma coisa irá acontecer contigo, por ter essa mentalidade!”.
Começamos nos encontrar, mas ela tinha mudado completamente de comportamento comigo, a tal ponto que disse para ela “Desisto, porque você quer um homem com nível superior, e você deve pegar o homem do seu nível”. Na hora me deu um ódio incontrolável, tive até vontade de matá-la, jogá-la debaixo do ônibus. Ou seja, estava de volta no inferno! (Até chorei no momento, quando digitei essa passagem na frente do computador).
Todo período que passei no mosteiro, para recuperar do trauma e prejuízo psicológico da mulher que cometeu suicídio, voltou tudo a tona, voltou às lembranças, angustias, sofrimentos, desesperos e dor. Foi 100 vezes pior do que a mulher, que cometeu suicídio. A pior parte venho depois, pois quando contei o que aconteceu comigo para os meus amigos, família, mosteiro, etc todos foram contra mim dizendo “Esta certo da família dela, não deixar namorar você. Você é um duro e fudido, que futuro pode dar para ela!”, até mesmo a minha mãe, pai, irmãos, foram contra mim (menos a minha querida tia e o monge foram únicos solidários comigo).
Fiquei totalmente louco, não falava coisa com coisa, depressão profunda, até me tornar uma pessoa extremamente violenta, respirava ódio, raiva, cólera, para não tomar atitude mais radical com as pessoas (afinal ainda tinha o bem mais precioso, a minha liberdade) optei pelo isolamento, mandando todo mundo “Vai tomar no cu!”.
Foi um período muito difícil, mas a religião me ajudou muito, agradeço ao Budismo, Hare Krisna, Taoísmo e Ten Tao, que me ajudaram muito, pois a religião não me decepcionou, ao contrário, foi eu que decepcionei a religião, mas essa é uma outra história.
Isso aconteceu em 1998, que só recuperei a minha saúde mental novamente em 2003, pois foi a partir dai, que jurei nunca mais passar por esta situação novamente, dediquei a minha vida como superar as paixões, ficando totalmente independente emocionalmente das mulheres. Hoje sou um homem realizado, superei as paixões a tal forma, que as pessoas dizem para mim: “Márcio você tem cara, que nunca passou nada na vida!”.
No conhecimento dos Vedas, ensina que não existe amor por coisas materiais, e nem para outras pessoas, pois o  amor é um sentimento negativo, que o verdadeiro amor é por si mesmo e a Deus, através escutando a voz interior.  Hoje em dia, tenho aspecto de homem sadio, equilibrado, perfeito, consciente em Krisna (Deus), levo uma vida saudável, que ensino a outros homens como superar as paixões.

Com 24 anos de idade, ela era linda, uma beleza fora de sério. Nos dias de hoje, com
38 anos, esta feia, velha, horrorosa e virgem como a mulher da foto.

Soube que depois de mim, nunca mais ficou com ninguém (fui o primeiro e único homem da vida dela, não tive relação sexual com ela, ficamos apenas 1 mês juntos), ela tem 38 anos, não casou, não teve filhos, e ainda é virgem, porque ela cumpriu a promessa, que nunca mais iria se envolver com outro homem na vida. Ela esta feia, velha e acabada, com uma cara de louca, perturbada, a tal ponto que nem consegue falar mais. Realmente  ela enlouqueceu! Pagou um preço caro pela sua arrogância, não tem vida social, não sai, não vai ao cinema, teatro, viajar, ou seja, viver a vida, ao contrário trabalha em quatro empregos, só trabalha, a sua vida é somente dentro do hospital, convivendo com a morte, doença, sofrimento, angustia das pessoas.
Meu estilo de vida é perfeito, não tenho do que reclamar, voltei a minha fé em Deus, sigo os seus preceitos, rezo que cada dia que passa, exterminar todos os desejos sexuais, superar as paixões e viver numa consciência superior, que seja guiado por ele. A vida não é má, ela quer apenas te ensinar, não aprendemos, porque somos burros.

4 comentários:

  1. Excelente texto, esses acontecimento tristes te ensinaram a ser uma pessoa mais forte.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. ( Nem precisa aprovar, é so uma pergunta)Acompanho sempre seu blog, dentre outros sobre o movimento da Real, e queria saber sua opniao sobre homens que frequentam puteiros, essas coisas do tipo. Apesar que hoje em dia nem precisa mais de puteiros. Se vc ja tiver feito algum texto sobre isso eu não achei ele. Ate mais

    ResponderExcluir
  3. superar as paixões é a mesma coisa de que não transar nunca mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não! Significa não sofrer mais por alguma mulher, não ficar preso emocionalmente a elas, parar de achar que o sexo é a melhor coisa do mundo, não viver em função delas.

      Um abraço

      Excluir